¡Bienvenidos a la Ciudad de Mexico!

27 agosto 2014 Postado por Nat . Nenhum comentário
Conhecer lugares que geralmente as pessoas não costumam conhecer. Daqueles, que quando a pessoa te pergunta pra onde você vai e recebe como resposta algo não tão clichê, ela diga: nossa, mas o que você perdeu lá? A tréplica tá na ponta da lingua: O desconhecido. A curiosidade. Isso de sair um pouco do comum, embora o comum também faça parte dos seus planos.

Foi assim que me senti quando arrumei a minha mala, dei a louca e falei: quero conhecer o México. Mas precisamente, a capital mexicana. DF, aí vou eu. E fui, sedenta por absorver toda aquela cultura que esse país emana. Foi bem isso que eu encontrei. Um lugar enorme, onde eu me senti uma formiga. Muita gente, muita gente mesmo. Que me fez reconhecer onde eu estava no instante em que pisei em solo mexicano. Eu sabia que iria amar cada particularidade daquele lugar e iria me divertir até mesmo com aquilo que não fazia o meu tipo. (Como a comida, por exemplo. Sofri, viu? Mas virou risada depois!)

Vou começar contando sobre as necessidades básicas de qualquer viagem (cia aérea, hotel, câmbio, transporte...) Depois trago um pouquinho sobre os lugares que visitei e mais gostei, em outros posts!


A viagem

Meu porta-passaporte La Pomme! ♥ ♥ ♥
Um dos meus perrengues foi o preço da passagem. Quando você dá bobeira paga mais do que deveria. E quando mora lá onde judas perdeu as botas, paga-se ainda mais e enfrenta a viagem mais longa do mundo. Faz parte né?

Comprei minha passagem (pelo Submarino Viagens) saindo de Brasilia, pela Copa Airlines, com conexão no Panamá. Só elogios! Sempre durmo mesmo, e não tenho medo de avião, então tranquilo. (Não tinha, tô meio cabreira nos últimos tempos). Comida gostosinha, voo sem problemas, comissários solícitos. Sem atrasos ou qualquer outro problema. Malas intactas! Yeah! (Só fiquei chateada porque ninguém avisou que o Seu Barriga (do Chaves) tava no voo e só percebemos na hora de recolher a bagagem.)
                                                                    

O câmbio

Viajar para um país cuja moeda é menos valorizada que a sua, é sempre um bom negócio. Dá até pra sorrir ao trocar 1 real por 4 pesos mexicanos.

Troquei alguma coisinha aqui no Brasil pela Confidence Cambio, só pra não chegar lá de mão vazia. Eu achava que lá ia ter mais vantagem, mas bobeira. Dá pra trocar tudo aqui, tranquilo. Tava até mais barato (tipo 1 centavo, mas ok) no Brasil, viu? Mas se você preferir trocar lá, é super tranquilo. Trocar por dólar é besteira, eu achei. Tem casas de câmbio no aeroporto, e perto do nosso hotel, onde trocamos também. É só se informar direitinho, de acordo com a sua localização.

O hotel

Fiquei em um hotel muito bem localizado e de preço bem acessível. As meninas já estavam acostumadas a ficar lá e eu super recomendo.  El Ejecutivo, no coração do Paseo de la Reforma. Entre o Ángel de la Independecia e o Centro histórico. Quartos grandes, arejados e confortáveis. Ótimo serviço. Não optamos pelo café da manhã, pois comprávamos o que queríamos nas lojinhas de conveniência espalhadas por toda a cidade (7 -Eleven e Oxxo).

Transporte

Andamos pouquíssimo de Taxi. Só quando tínhamos pressa. Dá pra fazer tudo de metrôbus ou metrô. Super fácil de se encontrar por ali! Ah, e de ônibus também, por isso, moedinhas sempre em mãos, pois eles geralmente não dão troco. O metrôbus você compra um cartão na máquina na estação mesmo, e coloca crédito. Se não me engano cada viagem custa tipo 6 pesos. (R$1,50). Tem sempre uma estação perto de onde você quer ir, acredite!

A comida

Eu sofri. Juro que sofri. Sou a pessoa mais insuportável do mundo pra comer, e eu não gosto de comida mexicana, mesmo. Meu estômago embrulhava cada vez que eu passava por uma barraquinha de tacos às 8h da manhã, e o povo devorando aquela massa gordurosa. É gosto né? E a gente não ia em restaurantes, então, eu me afundei em um mundo de Mc Donalds. Cheguei no brasil, com a pele chorando de espinha e raiva de tanto conservante. Tô sem comer sanduiche até hoje, 3 meses depois. Batata-frita, não. Continuo amando. rsrs

Mas, pra quem gosta da comida mexicana, vale a pena experimentar de tudo. As meninas sempre se achavam (e eu sobrava, mas faz parte! Papas fritas, aqui estamos!)


Logo, logo eu volto mostrando um pouquinho do que eu conheci! ♥
Espero que gostem! E se quiserem saber algo especial, deixem aí nos comentários, tá?

Eu sou brasileira...

08 julho 2014 Postado por Nat . 4 comentários
"Eu só queria poder da uma alegria 
para o povo, para minha gente que 
sofre por tantas coisas. Infelizmente
não conseguimos. Desculpa a todos
os brasileiros. Só queria ver meu
povo sorrir."

- David Luiz



... com muito orgulho, com muito amor!

Não foi bonito perder de 7x1. Doeu bastante. Vamos sofrer as consequências e ouvir "piadas" para o resto das nossas vidas.

Mas essa ainda é a nossa maior tradição. E eu ainda me orgulho de ser Brasileira! O meu País ainda é o que tem mais títulos, ainda é o melhor do mundo pra mim, e eu jamais vou humilhar a minha seleção só porque...perdemos. Perder é parte do jogo. Algumas vezes dói mais, é claro, como essa, em casa, na nossa copa. Mas faz parte. E é preciso saber perder. Com lágrimas nos olhos e orgulho no coração. Afinal, temos muito para nos orgulhar, é uma história que vem sendo escrita e é conhecida no mundo inteiro. Uma história que está longe do seu final.

Eu tenho vergonha dos brasileiros que hoje, pisam nos nossos meninos. Eles não estavam no seu melhor dia, desequilibrados emocionalmente e sem tanta força no pé. Mas não mereciam essa derrota, dessa forma. Nem merecem o que a maioria do povo está fazendo. Eu tenho vergonha, desses que agora os humilham, porque já não lhes convém aplaudir. Um povo pobre que não sabe reconhecer nada quando a vitória já não está no caminho. Um povo sem cultura que jamais conseguirá mudar esse país. Posso dizer, que esses, queimando bandeira em praça pública, merecem o governo que tem. E não merecem a camisa verde e amarela, e muito menos as lágrimas dolorosas de David Luiz.

David, você nos fez sorrir. E muito! Com seu carisma, seu jeito moleque, sua bola no pé. Você foi um de nossos heróis. Vocês deram o máximo de si, ainda que não tenha sido suficiente pra dessa vez, levarmos a taça. Mas calma, outras copas virão. Ainda somos o único pentacampeão da história e não estamos longe do Hexa. Talvez em 4 anos essa derrota fique na história, e um novo capitulo de vitórias nos seja dado. E esses mesmos brasileiros que hoje humilham a seleção, então, também não irão merecer as suas lágrimas de alegria, David, nem a nossa sexta estrela. Porque sim, ela há de chegar...

Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente e não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar a sua hora

Às vezes a felicidade demora a chegar
Aí é que a gente não pode deixar de sonhar
Guerreiro não foge da luta, não pode correr
Ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer

É dia de sol, mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender
Se colhe o bem que plantar
É Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar

Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé
Manda essa tristeza embora
Basta acreditar que um novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar!

Brasil, eu te amo!


O sonho não acabou.

07 julho 2014 Postado por Nat . 3 comentários
Abraçar a camisa e orgulhosamente torcer para a nossa seleção está sendo uma unânime no país cuja maior tradição é o futebol. Impossível não se emocionar com o hino a capela, vibrar a cada gol, roer as unhas a cada pênalti, sonhar junto a uma nação.

No último dia 04, fomos contagiados pela passagem para a semi final. Mas, tamanha alegria derrapou na notícia que ninguém esperava ouvir: nossa copa havia perdido a sua maior estrela, ou em um português bem dito- a nossa maior chance de colocar mais uma estrela na camisa. As costas de Neymar, perseguido desde o primeiro jogo, não resistiram ao golpe malicioso do inimigo em campo, e o derrubou ali mesmo, extasiado em seus gritos de dor.

A minha felicidade parou ali, nas lágrimas do craque. Eu sabia que ele não levantaria mais para a copa. Essa copa. Nossa copa. A copa dele. E mais do que triste por ver nossas chances do Hexa diminuir, o meu coração se entristeceu ao ver que aquelas lágrimas amedrontadas não eram só pela dor. Traziam o medo e a frustração de ver um sonho ser interrompido a dois passos da sua conquista. 

A seleção continua. Eu acredito no Brasil. Confio que podemos chegar lá sem ele, embora sua presença seja insubstituível e sua ausência seja ameaçadora. Mas, acredito. Seus "irmãos" vão jogar por ele. Para ele. Temos grandes jogadores, sedentos por essa vitória, agora mais do que nunca. E tenho certeza que o nosso camisa 10 confia em cada camisa do time. A torcida? Ocupará o seu lugar. Somos 200 milhões em campo. Não vai ser fácil, mas...está longe de ser impossível. A nação, seus companheiros, o futebol, choram a falta que ele fará nesse fim de mundial. Mas grita esperançosa o orgulho desse menino, e hoje todos juntos lutam por essa taça. Em uma só voz.

O sonho? Com os olhos vermelhos e inchados, ele mesmo disse, não acabou. Vamos todos conseguir e ele vai estar lá, porque é, indiscutivelmente, parte dele. Pode não ser do jeitinho como ele sonhou, afinal a vida prega peças e nem tudo é do jeito que a gente almeja. Mas vai ser, de alguma forma. E se não for, estaremos igualmente orgulhosas e esperando a próxima oportunidade.

Ah Neymar, você é só um menino. Muitas copas te esperam. Muitos troféus também. E você sabe: o maior deles você já tem. A admiração do povo Brasileiro, esse que você defende com garras, dentes e dribles que só um craque tem. A nossa sexta estrela, hoje, é você, pra você e com você!

Vai viajar e... não tá esquecendo de nada?

22 junho 2014 Postado por Nat . 2 comentários

Passagens compradas, hotel reservado, roteiro pronto, malas fechadas e...chegou a hora de romper fronteiras. Ôpa...antes de dizer "Tô pronta!" é bom dar uma repassada e ver se não tá faltando nada né? Afinal, não é nada agradável chegar ao nosso destino e nos darmos conta de que esquecemos algo essencial pra uma viagem tranquila.

Porta Passaporte e caderneta by La Pomme. Aliás, lá você encontra vários itens pra dar um colorido especial à sua viagem! Vale a pena conferir e garantir o seu...eu amo e sou fã, todo mundo sabe! ♥

Documentos

Pra mim essa é uma das partes mais importantes. Junte tudo o que você puder pra não passar aperto! Eu sempre levo comigo uma pastinha cheia de papeis. Entre eles estão:

- Cópia de documentos. (Identidade, Passaporte, Visto...)
- Cópia de cartões de banco e crédito. (Leve só o que você vai usar. Ah, e não se esqueça de autorizar os cartões para uso no exterior, hein? Nada de cartão bloqueado na primeira compra...)
- Cartão e documentos referentes ao seu Seguro Viagem. (Ta aí uma daquelas coisas que a gente paga torcendo pra não usar. Mas é super importante garantir o seu, pra qualquer emergência, e alguns países até exigem pra que o turista possa entrar)
- Cartão de vacina atualizado e certificado internacional de vacinação. (É só tomar as vacinas necessárias, principalmente se o seu país de destino as exige, e ir a um posto de viajante da ANVISA para emiti-lo. Pode ser que nem peçam, mas melhor prevenir, sempre!)
- Cópia dos bilhetes de passagem (Ida e volta) e Voucher do Hotel. (Imigração é imprevisível, vamos preparadas!)
...
- Guia Turístico! (Afinal, você tem que explorar tudo e cada segundo dos seus próximos dias)

Mala de mão

Antes de fazer a sua mala de mão, verifique com a empresa aérea as dimensões permitidas e o itens proibidos, ou você ficará sem eles. Na minha mala de mão eu sempre coloco:

- Remédios (os de rotina e caso eu esteja fazendo o uso de algum que precise de receita, ela vai junto.)
- Algumas peças de roupa (Incluindo peças intimas. Nunca se sabe quando sua mala poderá ser extraviada - meu medo maior do mundo. Quase danço o lepo lepo na esteira cada vez que vejo minha malinha aparecendo.)
- Câmera/Notebook/Tablet. (Sim, esses itens só podem viajar com você dentro do avião. Nada de mala!)
- Perfume. (Tem que ser pequeno, até 100ml. Ou ele fica na caixa de objetos proibidos da sala de embarque. rsrs)
- Desodorante. (Que não pode ser aerosol.)
- Maquiagem (Pelo menos o básico porque todo mundo quer chegar apresentável depois de horas dentro de um avião.)

Aquilo que não podemos deixar pra trás, mas sempre esquecemos.


Meu Deus, aquela sensação de sair de casa sabendo que alguma coisa ficou pra trás, mas não lembrar necessariamente o quê. Quem nunca? Vale fazer um check list e ler em voz alta conferindo tudo antes de colocar o pé na estrada, hein?

- Carregadores - celular, bateria de câmera, notebook, tablet, Ipod...
- Cartão de memória da câmera.
- Pasta de documentos
- Passaporte, passagem, seguro viagem... (É óbvio, mas vale lembrar, né?)
- Dinheiro (Pelo menos algum trocado, pros primeiros gastos no país de destino)
- Colocou uma tag com todos os seus dados na mala? Importante, hein? 


É, acho que agora podemos ir! Você tá pronta!
Próximo post eu conto a minha chegada à Cidade do México e todas as primeiras impressões desse País!

Around the world

15 junho 2014 Postado por Nat . 4 comentários
"Viajar. A melhor forma de se perder e de se encontrar ao mesmo tempo." (Brenna Smith)


Enquanto eu procurava uma frase pra começar esse texto, me perdi entre as muitas que encontrei. Eu simplesmente queria usar todas por não saber o que escolher, ou o que de fato eu queria dizer aqui. É tudo tão verdade, tão de efeito, que me faz ter uma certeza: viajar é, realmente, a melhor coisa do mundo. E, se eu pudesse te dar um conselho, apenas um, eu diria: Viaje, mas viaje muito. Sempre que puder, sempre que a vida te jogar uma oportunidade, sempre que quiser. Não há melhor maneira de se sentir a vida como um sonho.

Eu sempre amei me desligar do mundo - meu mundo. Viver outra vida, que não deixa de ser minha vida. E viajar é bem isso. Deixar pra trás a rotina e cair de cabeça em dias sem planos, desenhando no desconhecido a nossa própria história. E saber que, embora os dias passem onde estamos, é como se nossa vida aqui, no "mundo real", tenha sido pausada pra quando voltarmos, começarmos tudo de novo. Isso dá um gás danado nos nossos sonhos, planos e ações do futuro.

Viajar é conhecer pessoas, lugares, culturas, raízes diferentes. E em cada pedacinho que a gente passa, levar um pouquinho do que encontramos, e quem sabe deixar também um pouquinho daquilo que somos. É crescer a cada dia no inusitado, se tornar uma pessoa diferente a cada nova esquina cruzada. Esbanjar sorrisos sinceros, liberdade plena e uma saudade gostosa do que nos pertence do lado de cá. Sério, uma adrenalina de emoções que só conhece quem, como eu, ama colocar o pé na estrada e ser apenas, quem somos. 

Podia custar menos, é verdade. Queria eu ser rica só pra pode gozar mais desse prazer que é romper fronteiras. Mas, nada que um pouquinho de suor, planejamento e força de vontade não resolva. Custa muito, mas não há nada que me deixe mais rica. Rica de cultura, de vida, de sonhos.

Então, viaje. Liberte-se. Perca-se. Encontre-se. Sonhe. Muito!

-----

Viajar é um dos meus planos mais firmes. E vou tentar ganhar o meu mundo. Você me acompanhar?
Os próximos posts serão uma escola do que eu vi e vivi na minha última viagem. Destino: Cidade do México, México.

We are one! We are Brazil!

12 junho 2014 Postado por Nat . Um comentário

Pois só a gente tem as cinco estrelas na Alma verde-amarela
E só a gente sabe emocionar cantando o hino a capela
Pátria amada Brasil


Eu não vou entrar na mérito de que não deveria ter copa porque não sei quanto foi desviado e o Brasil precisa de escola, hospitais e não de estádios e aeroportos. Nem vou citar os protestos que tinham tudo pra ser cobertos de razão mas fazem questão de perdê-la ao deixar que os mesmos sejam levados pela violência. Sim, o Brasil não tem nem nunca teve condições de sediar a copa. E esses protestos deveriam ter acontecido lá atrás, quando o país entrou no sorteio. Agora vai ter copa SIM, e tem que ter protesto também. Sem que um denigra o outro. É receber bem o turista e as seleções e fazer uma festa linda. O estrago tá feito, e não tem sentido piorar ainda mais. É também ir às ruas, em paz, cobrar nossos direitos e exigir esclarecimentos. Sem guerra. Só paz. 

E já que tem copa - e eu amo muito tudo isso. Vamos falar de hoje? Cá entre nós, não se pode negar que soubemos fazer bonito. Assim, como só a gente faz. Apesar de todos os pesares, a partir de hoje, todos somos um. Todos somos um Brasil inteiro, milhares de corações, uma só torcida, que se orgulha daqueles mocinhos no campo, lutando com toda a garra por uma taça que está aqui...nas nossas mãos. Gostei da apresentação de abertura, apesar de ter achado um pouco vaga. Amo Claudinha, e ela arrasou, mas eu também não nego que faltou Ivete ali. E o que falar dos nossos meninos, emocionadíssimos em campo. Me arrepio só de lembrar. Assim como foi inevitável não encher os olhos de lágrimas ao ver aquela estádio inteiro cantando em uma só voz, com um só coração, o nosso hino. Foi bonito, foi chocante, foi demais. De um jeito que SÓ o BRASILEIRO sabe fazer.


Do jogo eu falo pouco, pois entendo quase nada. Só sei que quis abraçar o Marcelo com aquela pontinha de pé no lugar errado ao fazer o gol contra. Ô menino, que dó! Mas eles souberam virar. Neymar, nosso fera, mostrou porque é o Neymar. E Oscar, danadinho, fez nosso coração acelerar com o último gol. (o pênalti eu também acho que não foi pênalti, mas aceitei como uma desculpa do arbitro pelo jogo que nos tirou da copa de 2010. hahahaha)  Foi lindo, Brasil! A Croácia é um time e tanto, deu trabalho, mas nós fomos melhores. Nós somos os melhores do mundo, lembra???

Mostra tua força, Brasil
E amarra o amor na chuteira
Que a garra da torcida inteira
Vai junto com você Brasil,




Muito mais além do que se vê...

18 maio 2014 Postado por Nat . Um comentário


Sei lá que caminho é esse. Que vontade é essa. Quais desejos te pertencem. Quantos deles se perderam no meio da estrada. Talvez seja parte do infinito não saber muito bem onde querer chegar. Se vai chegar. Onde irá chegar. Com quem irá chegar. Se há muito alem do horizonte? Vai saber o que você quer ver. Depende dos olhos que buscam, dos pés que se aproximam, dos lábios que sorriem. Dos sonhos que se realizam.

Quantas vezes a gente  não parou por medo do desconhecido. Por não saber o quê se encontrará na linha tênue entre sonho e realidade. Quantos sonhos a gente não deixou escapar por pura falta de vontade de tentar? Essa mania, essa tolice de querer realidades fáceis pra sonhos incansavelmente difíceis - e que são infinitamente os melhores. Quantos medos não falaram mais forte? Quantos mais falarão? Quantos você quiser ouvir...

Desbravar mares. Alçar voos. Ir mais além daquilo que se vê. Daquilo que se deseja. Daquilo que se sonha. Ir mais além do que você é capaz, ou acha que é capaz. Entender, oras, que nossos limites podem ser muito maiores do que se acredita, ou que se quer acreditar. Além, além, Amém. Com fé, que ela não falha, e o caminho se torna não mais fácil, e sim mais reconfortante.

Das ondas, uma lição: tudo o que vem, volta. Do céu, outra lição: você é quem "se manda" ou quer "se mandar". Do horizonte que os une em algum lugar do infinito, a terceira lição: somos mais além do que pensamos ser, e o que somos aqui hoje, amanhã pode não. E depois de amanhã, quem sabe, volte a ser.